Saiba por que é tão difícil sair de um relacionamento complicado. (parte 2)

Imagem

 

Daremos continuidade ao capítulo do livro: ” Pílulas de Neurociência Para Uma Vida Melhor” com Suzana Herculano-Houzel, cujo tema é: “Por que é difícil terminar uma relação?”

No último capítulo a autora afirma poder ser sim a necessidade da presença do outro um vício, porém com algumas ressalvas:

….”De certa forma(mas só de certa forma), vício. O amor de uma pessoa é talvez o melhor dos vícios: algo do qual queremos mais, e sempre, e pelo qual fazemos tudo o que for preciso. Ele estimula o sistema de recompensa do cérebro, que nos traz prazer, bem-estar e felicidade – e nos faz querer mais de tudo isso com aquela pessoa. A expectativa do prazer de estar com ela é motivação suficiente para procurá-la.”

Continuando:

” O problema é que, curiosamente, quando o que causou prazer no passado deixa de funcionar ou só funciona às vezes, o sistema de recompensa responde durante algum tempo a essas lembranças com uma ativação ainda maior, que motiva o cérebro a insistir quase obsessivamente no assunto até recobrar o bem-estar de antes…”

A autora relata uma pesquisa feita pela antropóloga Helen Fisher da Universidade Rutgers, em Nova Jérsei, com a seguinte descoberta:  foi anexado um cartaz no Campus da universidade com a  frase: “Você acaba de ser rejeitado amorosamente e não consegue se conformar?” . Resultado: onze mulheres e seis homens disseram que estavam  devidamente inconsoláveis- compareceram ao laboratório aos prantos, com fotos dos ex-parceiros(as) nas mãos. O diagnóstico de Helen Fisher foi o seguinte: “Admirar a foto do ex-parceiro(a) ainda desejado(a) deixa o sistema de recompensa ainda em polvorosa” ou seja, ativa a lembrança. Semelhante ao caso dos alcoólatras em tempos de abstinência ao verem um copo. “não é atoa que durante a fase de inconformismo, as pessoas sejam capazes de tudo para reconquistar seu amor.”

” (O que acontece quando o desespero passa, os parceiros abandonados dão a volta por cima e não querem mais ver o outro nem pintado? Isso terá que ficar para outro estudo, pois Helen pegou apenas o telefone dos voluntários, todos estudantes, no alojamento da universidade e, quando quis entrar em contato novamente, todos já haviam se mudado. A ciência tem desses imprevistos também).

É exatamente o que nos faz apertar dezenas de vezes seguidas, a cada vez mais desesperadamente, o botão do controle remoto cuja pilha acabou. Você vê que não funciona mais- mas e se, graças à sorte ou ao seu charme, voltar a funcionar?

Se voltar, ótimo- ou não, porque, se a calmaria for apenas temporária, logo começa tudo de novo, e o sofrimento se perpetua enquanto o sistema de recompensa considerar que ainda há chances de sucesso. Umas das descobertas da neurociência mais relevantes à superação da separação é que a excitação do sistema de motivação causada por 50% de chance de sucesso é muito mais forte do que a ativação causada por um sucesso garantido. Por isso, continuar a ver um ex-amante(ou pretendente) que dá mensagens ambíguas é receita de desastre para o cérebro de quem quer se desligar da pessoa: enquanto achar que há uma ínfima possibilidadezinha que seja de voltar às boas, o sistema de recompensa insiste no assunto e se agarra com ainda mais força ao osso, sem chances de largar. Portanto a receita da reabilitação amorosa é uma só: tempo e abstinência, para dar chance ao seu sistema de recompensa de desaprender a esperar coisas boas com aquela pessoa. E outros prazeres, porque a vida continua.”

FIM

Espero ter contribuido de alguma forma para o entendimento do leitor(a) sobre as complicações existentes em relação as relações complicadas.

Abraços,

Claudia Menezes.

Fonte: Pílulas de Neurociência Para Uma Vida Melhor. Editora: Sextante.

Suzana Herculano-Houzel (Apresentadora do quadro “NeuroLÓGICA” do Fantástico

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com as etiquetas , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s