Saiba por que é tão difícil sair de um relacionamento complicado!

Imagem

Quantas vezes ouvimos alguém dizer que não consegue sair de um relacionamento. Que reconhece o quanto o parceiro(a) é diferente em vários aspectos, mas não consegue romper o vínculo e quando o faz, sente-se frustrado, triste e acaba reconciliando. Podemos encontrar explicação para tudo isso, com a Neurociências, afinal, não é o cérebro responsável por todas as nossas atitudes e comportamentos? Vamos entender melhor:

Este tema é do livro “Pílulas de Neurociência Para uma Vida Melhor” de Suzana Herculano-Houzel. O livro ensina que todas as nossas atitudes são baseadas em nossos pensamentos, melhor dizendo, pelo poder do cérebro.

Afinal, o que a neurociências pode acrescentar em nossas vidas? Ajuda a lidar com o stress, viver em harmonia e viver melhor a vida, uma vez que conseguimos compreendê-la melhor. Vamos ver trechos do capítulo:

“Por que é difícil terminar uma relação? 

Dizem por aí que o amor nos cega. Para a Neurociência, isso tem um fundo de verdade: ao mesmo tempo que o sistema de recompensa fica encantado com a presença do parceiro e tudo de bom que isso pronuncia, algumas regiões do cérebro responsáveis por julgamentos sociais- se uma pessoa é confiável ou não, por exemplo – ficam um tanto obnubiladas quando contemplamos o objeto da nossa paixão, seja filho ou namorado. Não é atoa então que a paixão torna as pessoas perfeitas aos nossos olhos, ou ao menos bem mais bacanas do que aos olhos dos outros – quero dizer, ao cérebro dos outros: o amor cega… o cérebro. Pensando bem, se todos temos defeitos, quantos casais não deixariam de se formar sem a ajuda de uma cegueirazinha mútua para pequenos problemas?

A cegueira social amorosa pode até explicar por que, quando as coisas vão mal, quem não está envolvido consegue enxergar razões suficientes para se terminar um relacionamento mais facilmente do que as partes interessadas: o cara é um crápula, o ciúme dela é doentio, ele não para em casa, ela gosta de outro. 

No entanto, mesmo quando a cegueira passa e temos a consciência de querermos alguém que nos maltrata, despreza, ignora e às vezes até rejeita, a primeira reação do cérebro pode ser insistir mais ainda em reconquistar o amor da pessoa em questão. Os amigos, cujos cérebros não sofreram as influências do(a) fulano(a), repetem que ficamos melhor sem ele(a). Sabemos disso, mas…Por que pode ser tão difícil dizer “basta” a um relacionamento ruim? Masoquismo? Culpa? Carma?

De certa forma(mas só de certa forma), vício. O amor de uma pessoa é talvez o melhor dos vícios: algo do qual queremos mais, e sempre, e pelo qual fazemos tudo o que for preciso. Ele estimula o sistema de recompensa do cérebro, que nos traz prazer, bem-estar e felicidade – e nos faz querer mais de tudo isso com aquela pessoa. A expectativa do prazer de estar com ela é motivação suficiente para procurá-la.”

Veremos mais sobre este tema no próximo post! Fique atento(a).

Abraços,

Claudia Menezes.

Veja também:

Gostamos de Sofrer? https://blogclaudiamenezes.wordpress.com/wp-admin/post.php?post=5601&action=edit

Fonte: Pílulas de Neurociência Para Uma Vida Melhor. Editora: Sextante.

Suzana Herculano-Houzel (Apresentadora do quadro “NeuroLÓGICA” do Fantástico

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s